Os fatores de risco cardiovascular e sua importância


Dados da ultima diretriz de doença coronariana estimam que metade dos homens e um terço das mulheres terão algum evento cardiovascular na vida - doença coronariana, infarto, acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca, aneurisma de aorta, obstrução arterial em membros inferiores e até morte súbita. É muita gente, muito evento grave! 

Não à toa, cardiologia é uma das especialidades médicas mais valorizadas e, frequentemente, o cardiologista é o clínico ou o médico da família. 

Os fatores de risco para desenvolver doença cardíaca são bem conhecidos. Os dados advém de estudo iniciado na década de 70 na pequena cidade de Framingham, Massachussets, EUA, devido a uma pecularidade da cidade: quase ninguém novo ia viver na cidade e ningúem saía para viver em outro lugar.

Ainda hoje, a cidade possui apenas 70 mil habitantes.

O local perfeito para estudar uma população estavel por anos...

Ficou estabelecido, após quase 3 décadas, que doença cardíaca aparecia mais em homens, acima de 45 anos, com hipertensão, sobrepeso, diabetes, colesterol alto, fumantes, com historico familiar, que não praticavam atividade física, e ainda viu-se que aumento da circunferência abdominal e doença crônica nos rins poderiam contribuir para um futuro com infarto ou outras circunstâncias desagradáveis.

Mas tem um problema. O mundo na década de 1970 já não existe mais e aqueles adultos de antigamente tiveram filhos e netos que estão vivendo em um novo mundo, com novos problemas e novos desafios.

Exercicio mental: Em 1970, o Brasil tinha 90 milhões de habitantes e era tricampeão mundial. Agora, temos mais de 200 milhões e somos pentacampeões mundiais de futebol. 

A China era a 5a economia do mundo enquanto a União Soviética disputava o primeiro lugar com os EUA. Hoje, os países trocaram de lugar no ranking econômico, e a população deste país cresceu de 800 milhoes em 1970 para 1.3 bilhao em 2017. Ah, a população mundial cresceu de 3.6 bilhões para mais de 7.7 bilhões em 2019, mais que o dobro. 

Por que a importância disso?

Estamos em um mundo novo, e quem não se atentar para os novos fatores de risco para doenças cardíacas corre o risco de ter surpresas. 

Quais são esses fatores de risco novos?

Eles estão sendo levados em conta na sua avaliação?

Vamos continuar o papo?